O mundo de The Last of Us é perigoso. A menos que você viva em uma área protegida, há algo letal em cada canto que você vá.

Uma vez que você se aventura fora de sua casa, você está em perigo, e onde você levar a história, onde levar Ellie (a personagem principal), em cada passo do caminho ela será colocada em mais e mais situações de perigo para trazer justiça para o povo.

O mundo, em toda acepção da palavra, é maior do que o apresentado para o usuário em The Last of Us Part I. Isso vale tanto em escala, quanto na quantidade de espaço físico disponível para você explorar e encontrar outras pessoas.

Em certo momento, por exemplo, a personagem principal encontra Dina, que fala sobre os perigos das estradas que as rodeiam.

Design do jogo

Cada canto do jogo é um novo desafio, cada decisão é muito difícil de ser tomada por Ellie.

Essa dificuldade fica não só na experiência do usuário durante o jogo, mas também no nível do design do jogo. A ideia era fazer certas experiências parecerem hostis, através de muitas cenas em que a personagem enfrenta o clima, rios caudalosos e a neve escorregadia.

Mas, segundo a líder na construção da narrativa, Halley Gross, a hostilidade também para mostrar quão cego o jogador está. O que ele pode ver? Quão seguro ele se sente? Você consegue ver quando uma ameaça está se aproximando?

Nesse jogo, você nunca sabe se as balas que estão na sua arma serão o suficiente, você nunca sabe se pode parar e recarregar sua arma ou fazer um curativo. Você não pode parar para respirar!

Você precisará estar alinhado com a personagem principal, Ellie.

Arte do jogo – Cidade de Jackson

Para Jackson especificamente, a comunidade liderada por Tommy, era necessário que ela parece uma comunidade fechada, que é focada em família e em maneiras autossustentáveis de viver. Eles têm a barragem geradora de energia elétrica, que gera eletricidade para toda a cidade, o que é uma coisa que talvez os jogadores não esperassem ver nesse mundo.

Os criadores da arte queriam mostram que há certos moradores da cidade dedicados a reconstruir a vida e que não estão ligados necessariamente a matar pessoas.

Conforme você anda com seu personagem pela cidade, é possível ouvir crianças rindo, ver pessoas indo a restaurantes e comendo. É uma cidade muito tranquila, mas o jogador sabe que coisas horríveis acontecem além dos muros, ainda assim os moradores conseguiram manter a inocência da cidade.

Um dos diretores do jogo, Anthony Newman, diz que a cidade de Jackson, de muitas formas, representa o que está em jogo para os personagens: uma vida pacífica e com relativo conforto, uma vida na qual você pode se apaixonar, um lugar onde crianças podem brincar e está tudo bem.

Os diretores pensaram muito, durante a construção dessa cidadezinha, quantos momentos como esses eles poderiam representar.

O que é mais incrível sobre o mundo de The Last of Us Part II é que ele mostra como são preciosas as coisas que achamos que estão sempre garantidas na nossa vida do dia a dia.

Seattle

Seattle, em comparação com Jackson, é muito diferente. É como se fosse uma zona de guerra.

A parte mais interessante de Seattle, ou do noroeste pacífico, é todo o cenário chuvoso, com fuligem e uma vida mais selvagem. Com toda a vida exuberante, é um belo lugar para alguém que queira se aposentar, pois tem diversos lugares para cultivar e para caçar.

E porque é tão exuberante, tão cheia de recursos, muitas facções brigam por esses recursos.

Quando o surto acontece, os militares tomam algumas ações drásticas e deixam partes do país em quarentena. Esse foi o jeito deles de proteger a população que sobreviveu a esse horrendo surto. Por causa disso, começam a se formar grupos de resistência.

No primeiro jogo, entramos em contato com os Fireflies e entramos em contato com outros grupos. Nesse jogo, nós veremos que tem outro grupo que Rose chama de Washington Liberation Front, que foi capaz de desafiar o exército e, assim, adquirir diversos dos equipamentos dele.

Então, esse fator militar é muito importante no jogo.

Ao mesmo tempo, nós também temos os Seraphites, que é um grupo religioso que também surgiu depois do surto. Eles acreditam que a pandemia veio por causa dos pecados. Eles estão tentando recriar o mundo e transformá-lo em um lugar melhor do que era.

Em The Last of Us, praticamente todos os grupos que sobreviveram por tanto tempo é perigoso.

Se você não é perigoso, você não vai sobreviver, mas sim se tornará a vítima de alguém.

As duas facções que existem no jogo são ambas perigosas. A Washington Liberation Front tem muitas equipamentos bélicos que eles usam para defender essa área, e eles são muitos.

Enquanto isso, os Seraphites são muito quietos, furtivos e usam a grande quantidade de fuligem em sua vantagem. Eles lutam mais no estilo guerrilha.

O jeito que você terá que lidar com eles será diferente, porque eles têm uma linguagem diferente e um estilo de comunicação diferente também. Os Scars vão sussurrar um para o outro com uma língua muito diferente.

Armas no jogo

Os Seraphites têm algumas das coisas que você também terá, como arco e flecha. Eles podem te acertar com flechas e te empalar. Nesse, você terá que tirar a flecha da ferida. Eles têm marretas enormes e muitas armas brancas.

Os Washington Liberation Front têm cachorros treinados que irão farejar e te atacar. Os cachorros são um novo nível de ameaça, com a qual Ellie não tinha que lidar antes. Eles criarão uma nova e complicada escolha para o jogador. 

Os criadores do jogo dizem que viram nos cachorros uma oportunidade para desafiar as percepções dos jogadores das configurações de um combate.

“Queríamos achar escolhas realmente difíceis.”

Os cachorros têm nomes, pelos quais são chamados pelos donos. Cada escolha será difícil nesse jogo.

Infected

Os Infected ainda são uma ameaça para esse mundo. Apesar disso, haverá algumas diferenças.

Em alguns cenários haverá muito mais Runners, como hordas de Runners indo atrás de você. Talvez suas você só sobreviva escapando, pois suas chances são mínimas.

Essas criaturas continuam sofrendo mutações, evoluindo de uma forma que você nunca viu antes, com novos tipos e classes.

Agora, existem os Shamblers, que possuem nuvens explosivas de ácido, que eclodem quando você se aproxima deles.

Em uma das cenas, você está andando em um corredor e tem que fazer uma decisão de repente: quero receber os danos e ir através da nuvem, ou procuro outra rota, ou volto pelo caminho que vim? Isso força o jogador a tomar decisões rápidas sobre como você vai lidar com a ameaça atrás ou na sua frente.

Então, e´como você vai lutar contra a inteligência Infected. Quando você entrar em um ambiente e ouvir sons indicativos, porque diferentes classes farão sons diferentes, se você só sair atirando e não tomar precaução, você poderá facilmente se arrepender da sua estratégia.

O jogo tem como base a incerteza e a instabilidade.

Curtiu esse review, mas ainda não tem um PS4? Confira nossa oferta com o melhor preço do mercado!