A maioria das crianças no Brasil já cresce em meio aos papéis, lápis de cor, giz de cera, tintas guache, telas, entre tantas outras maneiras de se fazer arte. Ao chegar na escola isso continua por anos a fio, aprendendo a mexer com recorte e colagem, com desenhos, pinturas e até mesmo tentativas de grafite! 

São poucos os que seguem esse caminho como profissão, afinal, não é algo fácil, seja para conseguir um emprego ou mesmo para fazer um bom trabalho. Quantas pessoas que você conhece que fazem arte de alguma forma como meio de ganhar a vida?  

Existem milhões pessoas que realmente gostam de arte. Por hobbie. São boas no que fazem, mas fazem apenas por fazer. Seja desenhar para um trabalho ou para passar o tempo, seja rabiscar ou pintar, entre outras tantas maneiras de se expressar através da arte.

Sendo assim, trouxemos materiais para todos os gostos, bolsos e níveis. Para quem nunca tentou desenhar ou quem já trabalha com isso há décadas: 

Lápis:

Independente da marca, os lápis possuem graduações, então vamos a elas:

Lápis H: duro e indicado para desenho técnico.

Lápis HB: pouco mais forte que o H.

Lápis B: sendo o oposto ao H, esse é macio, com o traço mais escuro.

As enumerações servem para trabalhos específicos, como:

HB: desenho técnico

B: esboços

2B: esboços

3B: texturas da pele

4B: pelos e cabelos

5B: sombras

6B a 9B: sombras mais escuras

Lapiseiras

São excelentes para fazer traços finos, pois possuem diversos tamanhos de espessura de grafite. As porta-minas podem ser mais grossas do que o lápis comum. 

Minas de diâmetro 0.3mm – linhas e detalhes bem pequenos

Minas de diâmetro 0.5mm – são básicas

Minas de diâmetro 0.7mm – melhores para escrever

Minas de diâmetro 0.9mm – faz manchas 

3B até 9B – usada para trabalhos de grande formato

Lapiseiras e lápis de cor

Lapiseiras | Pentel: possuindo várias espessuras, a Pentel sempre foi uma das mais compradas e não é por menos. Ela já está no mercado desde os anos 1970! Apesar de ser comprada para todos os níveis, ela é voltada para projetistas, arquitetos e outros profissionais da área.

Lápis de cor | Faber Castell: A marca está entre as mais compradas do País, tendo kits baratinhos e iniciantes até os mais completos, profissionais e caros.

Lápis de cor – avançado | Lápis de cor Caran d’Ache: considerada uma das melhores do mundo, a marca possui excelente cobertura, além de maciez inigualável ao toque do papel, mas claro, o bolso vai pesar!

Lápis de cor – avançado | Prismacolor: como os da Caran, a marca também oferece um produto de excelente qualidade, cobertura, maciez e preço alto!

Canetas

Stabilo: tem um bom custo-benefício, a ponta é fininha, além de ter muitas cores disponíveis no mercado. Apesar de ser ótima para criar detalhes, elas não permitem ter controle da pressão do traço.

Tombow: famosa pelos praticantes de lettering, a caneta é grossa na base e fina na ponta, facilitando a criação dos traços. É à base de água e disponível em mais de 100 opções de cores.

Copic: é recarregável e com duas pontas, sendo uma brush e uma chanfrada. O modelo possui 350 opções de cores!

Sakura | Caneta pincel: indicada para ilustrar, marcar, desenhar, entre outros, a caneta possui ponta de nylon flexível, além de ser à base de água. A linha está disponível em 48 cores, além de ser própria para colorir desenhos artísticos.

Pilot Color 850: por ter a ponta arredondada, a caneta te permite ter total domínio da pressão do traço. Para quem gosta de traços largos, ela é ideal.  

Caneta Nanquim Pelikan – 08 canetas: esse kit vem com 8 canetas para desenhos técnicos e artísticos. As numerações são 0.1, 0.2, 0.3, 0.4, 0.5, 0.6, 0.7 e 0.8. Ela possui ponta de metal comprida, ótima para usar com réguas, esquadros e acessórios para desenho técnico. Sua tinta (preta) pigmentada é livre de ácido, além de ser à prova d’água. Pode ser utilizada sobre pintura aquarela, em desenhos de mangá, entre outros.

Pincéis para aquarela

Chato | Keramik: tem esse nome por ser reto na ponta. Permite efeitos mais marcados e angulosos. Excelente para traços retos e precisos. 

Língua de gato | Condor: super utilizado para dar acabamentos suaves e leves aos desenhos. O formato arredondado permite uma melhor aderência às curvas de uma ilustração.

Redondo | Da Vinci: ótimo para acabamentos, como para preencher com alguns contornos com delicadeza.

Marcas para artistas avançados

Winsor & Newton Cotman: permite cobrir grandes áreas, mas também pequenos detalhes.

Keramik: é próprio para uso artístico, sendo resistente a luz e água. 

Royal & Langnickel: ótimo para cobrir áreas pequenas e fazer filetes, como fios de cabelo e galhos, por exemplo. 

Tintas

Sakura Koi: ótima para quem está começando no mundo da arte. Tem um acabamento opaco (característica das aquarelas orientais), e vem com boa seleção de cores.

Cotman: pode ser considerada como uma tinta semiprofissional – para estudantes. Indicada para quem quer dar um passo a mais.

Winsor & Newton Cotman: a marca trabalha com tinta óleo, acrílica, para caligrafia e desenho, entre outras. 

Papéis

Sulfite: o papel básico que todos conhecemos e já trabalhamos.

Opaline: esse papel é mais liso que o sulfite, indo bem com marcadores e canetinha hidrocor.

Papel Canson no geral: sua folha é livre de ácido e pode ser utilizada na confecção de scrapbook. Ela não solta tinta, é fácil de cortar, imprimir, dobrar, é resistente a luz, além de ser maleável.

Outros itens

Apontador

Apontador Duplo Faber-Castell: apontador manual de excelente custo-benefício. Com dois buracos para afiar o lápis, é uma mão na roda para desenhistas no geral. 

Borracha

Borracha limpa-tipos: moldável e maleável, a borracha não deixa ‘defeitos’ ao absorver o grafite.

Pentel: sua constituição especial é de polímeros, garantindo resultados super limpos, com poucos detritos e farelos. Ela apaga com precisão e sem muito esforço. Sua espessura é ideal para apagar os cantos e pequenos detalhes da folha. 

Que tipo de artista você é? Profissional? Amador? Ficou com vontade de entrar nessa onda após terminar o texto? Conte para nós! 

Sobre o autor

Jade Ribeiro

Jornalista, fotógrafa, blogueira e leitora assídua.

Ver todos os artigos