Como vão funcionar os e-commerces com a epidemia do Covid-19?

    Monday, March 23, 2020, 02:52 PM
    Como vão funcionar os e-commerces com a epidemia do Covid-19?

    O artigo de hoje é sobre o assunto que está preocupando o mundo: você já deve estar por dentro da situação que o mundo se encontra por conta do coronavírus, acompanhando através de jornais e tomando os cuidados necessários para manter você e a sua família em segurança.


    O alastramento do COVID-19 é a ameaça mais séria à segurança da saúde global em décadas. Muitos países estão impondo restrições muito necessárias para retardar a disseminação do coronavírus.


    Mas essas restrições também estão causando interrupções sem precedentes para os comércios. As mudanças são muitas e rápidas, as lojas de rua e shoppings estão sendo fechadas até tudo voltar ao normal. Milhões de comerciantes estão sendo impactados, e muitas empresas estão trabalhando duro para encontrar soluções.


    Por aqui no Vigia de preços, todos os colaboradores estão trabalhando em home office, mas a gente se organizou para que o trabalho flua naturalmente, zelando pela saúde de todos, e nós achamos que essa deve ser a principal preocupação de todos nesse momento, a integridade de todos. Porém, nós também sabemos que é impossível que outras dúvidas não surjam, e por isso queremos continuar deixando você informado de tudo em tempo real.


    Algumas dessas dúvidas podem ser: como fica o meu trabalho de e-commerce, de que forma essa pandemia pode afetar os meus negócios, como atravessar essa crise e qual o reflexo dela no meu e-commerce. Essas são questões ainda difíceis de responder, mas a gente reuniu algumas informações e dicas que podem te ajudar.


    Estamos acompanhando a constante evolução, em nosso país e no mundo, e gostaríamos de dividir com você um pouco do que os e-commerces estão fazendo para responder a essa crise global, garantindo a segurança de seus consumidores e de seus times, mantendo, dessa forma, seus serviços.


    Deve-se ter em mente que não informações compiladas e reportagens de alta qualidade e de longo prazo sobre os efeitos do COVID-19 nos e-commerces e, portanto, as informações contidas neste artigo serão baseadas nas melhores informações disponíveis.


    O medo do coronavírus está causando impacto no mundo todo, e no Brasil não é diferente. No varejo online isso pode ser comprovado por levantamentos de pesquisas, como a Compre e confie, que é uma empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce. De acordo com as informações, do dias 01 até o dia 19 de fevereiro, o faturamento do setor teve queda de 5,2% em relação ao mesmo período de janeiro. E a pandemia é apontada como uma das causas.


    O segmento que teve a maior queda foi o de eletrônicos, menos 19%, pois essa é uma categoria que depende de componentes da China, e a queda nas vendas pode ser explicada pelo medo das pessoas de consumirem produtos vindos de outros países.


    Seguindo as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde), grande parte dos e-commerces alterou a jornada nos escritórios e centros de distribuição para atender a todos os cuidados necessários com a saúde dos clientes, parceiros e colaboradores.


    Para proteger seus colaboradores e ajudar na contenção, as empresas ao redor do mundo estão funcionando remotamente, através de home office. Algumas estão funcionando com equipes de atendimento reduzidas, para a segurança dos colaboradores. Por isso, o tempo de espera para você ser atendido no chat do e-commerce, telefone ou e-mail pode ser maior.


    As empresas estão fazendo sua parte para que esse período seja melhor para todo mundo. Todas estão orientadas com medidas de higienização constante de materiais e mãos, além da restrição total do contato físico entre todos os colaboradores.


    A maior parte dos e-commerces online permanece normal, sem nenhuma alteração. E, principalmente, todos os canais de comunicação deverão estar funcionando normalmente, pelo menos em grande parte das empresas, pois algumas optaram por suspender o atendimento por voz por enquanto.


    Em alguns casos, as empresas estão com os prazos reajustados para a entrega de pedidos. Esse informativo foi primeiro liberado pelos Correios, que também está com carga horária reduzida. Muitas empresas estão optando, inclusive, pelo frete grátis, para auxiliar nas compras, nesse momento de crise mundial.


    As compras onlines têm crescido até cinco vezes com o isolamento por causa da pandemia. Sem poder ir a lojas físicas, os consumidores estão dando preferência ao comércio eletrônico.


    Como exemplo, podemos citar a startup Eu entrego, que auxilia o contato de entregadores autônomos e empresas. Para essa startup, a entrega de mercearias e mercados aumentou cinco vezes. As outras categorias não diminuíram e nem aumentaram, mas se mantiveram estáveis. Como os motoristas são autônomos, a entrega não foi suspensa. A empresa conta com cerca de 80.000 enttregadores autônomos.


    Outro exemplo é o marketplace Mercado Livre. Lá, as áreas de saúde, higiene pessoal e produtos alimentícios foram as que cresceram mais, cerca de 15%.


    Logicamente o crescimento das vendas se deu após o início da pandemia mundial do coronavírus. Os produtos mais vendidos são máscaras protetoras, álcool em gel, alimentos, papel higiênico e fraldas.


    A empresa OnTime Log, de logística, também diz ter aumentado as suas vendas. As principais categorias são mercearia e farmácia, com itens de primeira necessidade.


    Nesses últimos dias, muitas pessoas têm pesquisado por itens de higiene pessoal, por sites e aplicativos. Os e-commerces que oferecem esses produtos têm tomado as medidas necessárias para garantir preços justos. Algumas plataformas, como o Submarino, oferecem um botão de denúncia em suas páginas, caso o cliente encontre alguma oferta inadequada, com preços abusivos.


    Separamos algumas dúvidas frequentes para responder aqui. Se depois de ler ainda tiver alguma coisa que você queira esclarecer, não se esqueça de comentar.


    ●     E o pedido que eu fiz para retirar na loja física? Como fica?

    Muitos e-commerces também possuem lojas físicas. Mas não se preocupe! As lojas que oferecem essa opção estão reencaminhando os produtos para serem entregues em casa. Então, você vai receber o seu pedido.


    ●     Os sites ainda estão funcionando?

    Sim, grande parte dos e-commerces continuam firmes e fortes.


    ●     Quero devolver um produto, como faço?

    Muitas empresas estão ampliando os prazos de devolução. Confira com o e-commerce em que você comprou como ficará a situação no seu caso.


    ●     Se eu tiver dúvidas, com quem posso falar?

    Os canais de atendimento seguem na ativa, em grande parte dos negócios online. Por isso, não hesite em entrar em contato pelo chat, telefone, WhatsApp, e-mail, ou qualquer outra ferramenta de comunicação que a empresa disponibilizar.


    ●     Os prazos de entrega serão cumpridos?

    Isso vai depender principalmente do funcionamento das transportadoras e Correios. Mas qualquer alteração na entrega, será previamente avisada. Os e-commerces estão trabalhando para manter a eficiência de sempre nas entregas.



    Agora temos um pedido para você. Siga as recomendações da OMS e dos especialistas, procure ficar em casa e zele pela sua saúde, dos seus amigos e familiares. A força do coletivo é o que fará a diferença para superarmos este momento!


    À medida que lidamos com a enorme escala e o impacto humano dessa pandemia, nossa comunidade global continua apoiando e aprendendo uns com os outros.


    Convidamos você a compartilhar suas perguntas, ideias e comentários com a comunidade e esperamos que o Vigia de Preços possa atendê-los e àqueles que você ama nesses momentos difíceis. O vigia de Preços está aqui junto com você.


    X Baixe o app e leve a melhor compra sempre com você Baixar Grátis